BLOG

BLOG

sábado, 17 de janeiro de 2015

NOVA FLORESTA : Homem que se apresentou voluntariamente é liberado por falta de provas


     Um jovem Florestense que havia se entregado espontaneamente no dia (15/01) durante a operação desencadeada pelas policias Militar e Civil da Paraíba , na cidade de NOVA FLORESTA foi liberado ontem (16/01) após ter sido constatado pela policia que não havia provas que o ligassem a a quadrilha acusada de assaltos nas cidades de Nova Floresta e Cuité e Jaçanã -RN.

   Em entrevista a Rádio 89 FM o Delegado Durval Barros disse que “Rodrigo” se apresentou voluntariamente a policia e falou ainda que naquele momento não tinha como ligar o jovem  aos demais acusados.

Ainda segundo informações da própria policia o menor que foi apreendido durante a operação foi liberado e entregue ao conselho tutelar de NOVA FLORESTA .

Com informações da Rádio 89FM/CUITÉ

HOMEM É RESGATADO COM VIDA APÓS CAIR EM CACIBÃO COM 12 METROS DE PROFUNDIDADE

Uma equipe do 2º Batalhão do Corpo de Bombeiros Militar de Parnaíba foi acionada na tarde desta sexta-feira (16/01) por volta das 17h para resgatar um homem que havia caído em um poço de 12 metros de profundidade, na localidade Km 12, nas proximidades da BR 343, zona rural de Parnaíba.
Felizmente, a vítima foi retirada do local sem nenhum ferimento. Segundo informações de moradores da localidade, o homem identificado por Francisco José da Silva, de 35 anos, conhecido como “Franzé”, caiu no poço por volta de meio dia. Ele estava desaparecido desde a noite dessa quinta-feira (15). Durante o resgate, os Bombeiros contaram com o apoio da população que conseguiu as varas necessárias para a improvisação de um tripé. Dentro do poço, o homem se encontrava sentado à espera de socorro. “A dificuldade maior é a profundidade dos poços. Mesmo assim, conseguimos realizar um trabalho com êxito. Nesta área registramos uma grande quantidade de ocorrências desse tipo. Dessa vez, felizmente a vítima teve sorte e conseguimos resgatá-la com vida”, afirmou o Major Rivelino Moura, comandante do Corpo de Bombeiros de Parnaíba. Após alguns minutos, o homem foi resgatado, imobilizado e encaminhado para o Pronto Socorro do Hospital Estadual Dirceu Arcoverde (HEDA). De acordo com o Corpo de Bombeiros, a vítima não sofreu nenhuma fratura aparente.




Por Kairo Amaral/portalcostanorte

FAMÍLIA FAZ ÚLTIMA VISITA A BRASILEIRO QUE SERÁ EXECUTADO NA INDONÉSIA

Neste sábado, os parentes do brasileiro Marco Archer Cardoso Moreira, condenado à morte por tráfico na Indonésia, fizeram uma última visita ao condenado, por volta das 15h (horário local). As imagens da família indo até a prisão, em Cilacap, na ilha de Java, onde se encontra o brasileiro, foram divulgadas por uma TV local.

Marco, 53, nasceu no Rio de Janeiro e é instrutor de voo livre. Ele foi preso ao tentar entrar na Indonésia, em 2004, com 13 quilos de cocaína escondidos dentro de uma asa delta. A droga, porém, foi descoberta pelo raio-x do Aeroporto Internacional de Jacarta. Apesar de fugir do aeroporto, Marco foi preso após duas semanas de buscas. O presidente da Indonésia, Joko Widodo, rejeitou um apelo da presidente Dilma Rousseff, com quem conversou por telefone.
Após anos de esforços diplomáticos, a presidente tentou advogar pessoalmente em favor de Marco e de Rodrigo Muxfeldt Gularte, outro brasileiro no corredor da morte do país asiático. Segundo o Itamaraty, os esforços da diplomacia prosseguem, apesar da recusa de Widodo. O assessor especial da Presidência da República, Marco Aurélio Garcia, disse ontem que apenas um “milagre” pode reverter a decisão e ressaltou que, caso a pena seja cumprida, isso representará uma “sombra” na relação entre os dois países. Se o pedido de clemência não for aceito, Archer será o primeiro brasileiro submetido à pena de morte por um Estado estrangeiro e o primeiro preso executado no governo de Widodo, que assumiu o governo em outubro passado. O fuzilamento está marcado para a meia-noite de hoje (15h em Brasília). Outros cinco condenados também devem ser executados no fim de semana — um indonésio, um holandês, dois nigerianos e um vietnamita.