BLOG

BLOG

domingo, 8 de janeiro de 2017

Polícia discrimina operação que prendeu ladrões de bancos em Brejo do Cruz-PB

JAIR SAMPAIO
Uma mega operação policial comandada pelo major Douglas Ferreira, do 12º BPM de Catolé do Rocha, desfez uma super quadrilha suspeita de arrombamento e roubo a bancos na Paraíba e Rio Grande do Norte. De acordo com informações da polícia, o chefe, por enquanto percebido no trabalho, é César Firmino, homem, até então, de confiança na cidade de Brejo do Cruz e com forte ligação comercial com a cidade de Caicó, no RN.
Todo o trabalho da Polícia Militar será analisado sob os cuidados da Polícia Civil da Paraíba, especialmente o GTE. Os homens presos, estavam na fazenda do senhor César Firmino, que sempre foi tido pelos paraibanos como um homem de bem, porém, com toda a materialidade obtida sob seu poder, a casa pode ter caído para ele e mais 10 envolvidos diretamente, um deles, vaqueiro da fazenda, foi a óbito na troca de tiros com a Polícia. O material apreendido, de acordo com a polícia, foi o seguinte:
04 baldes cheiros de grampos- (geralmente utilizados para furar pneus de carros) 02 pés de cabra 1 alavanca 07 hastes de metal cilindro 01 cinto de guarnição 01 coldre de perna 01 machado 01 KG de prego 01 cordão detonante 02 cilindros de oxigênio 01 mangueira de cilindro cor vermelha 01 mangueira de cilindro com três relógios medidor 01 máscara de proteção 02 óculos de proteção 01 camel back (reservatório para colocar água para beber) 02 capuz 02 talhadeiras 01 chave de fenda grande 01 chave de fenda  pequena 04 alicates 01 alicate de pressão 01 chave de regulagem 01 lixa de 150 01 rolo de papel alumínio 01 fio de aterramento para solda 01 pacote de isolador 01 marreta 01 chave de boca 07 pares de luvas 02 garrafas Pet de 250 ml 01 blusa de cor preta 01 fardamento completo do Exército (camisa e gandola) 03 coletes balísticos 09 celulares 01 carregador de celular 01 rádio de comunicação HT 03 carteiras com documentos 03 anéis dourados 02 cordões dourados 01 pulseira dourada 02 relógios 01 pistola simulacro, cor prata 01 sub-metralhadora beretta 9mm 08 munições intactas, calibre 9 mm 93 munições intactas, calibre 556 05 munições intactas, calibre 762 01 cartão de memória 03 chips de celular 01 automóvel VW Saveiro, cor branca, placa- NOA 7343/RN modelo 2012/2012 1 automóvel Toyota Hilux , cor preta .
Foram presos na mega na operação
Felipe Ferreira da Silva, Jefferson de Souza Fernandes, Julio Cesar Fernandes de Oliveira, Bruno Tavares, José Alves dos Santos, Antonio Batista de Araújo, José Alves dos Santos e o também suspeito Katiano Alves dos Santos.
César Firmino, como é muito bem conhecido na Paraíba e em Caicó, bem relacionado, é considerado homem de bem pela sociedade dos dois estados, porém, frente ao problema, será difícil provar sua inocência. Advogados já foram contratados.

PREFEITO DE JAÇANÃ, OTON MARIO FAZ AVALIAÇÃO DA SITUAÇÃO CAÓTICA DA PREFEITURA!

Do Blog: Prefeitos de vários municípios encontraram prefeituras sucateadas, as más práticas do clientelismo, atraso com fornecedores, funcionários, em fim, um caos generalizado. A gestão pública não é nenhuma instituição de caridade, por esta razão que muitos municípios estão no vermelho. Confira à nota abaixo! O prefeito Oton Mario (PSOL), fez uma avaliação do estado calamitoso em que se encontra a prefeitura de Jaçanã. Veja o depoimento no Facebook!


AVALIAÇÃO DA PRIMEIRA SEMANA DE GESTÃO: 
COISAS QUE TODOS PRECISAM SABER
Meus amados jaçanaenses, é chegada a hora de

 fazermos um balanço da nossa primeira semana
 de gestão municipal. Foi uma semana para 
conhecer o terreno, arrumar a casa, 
entrar "pisando em ovos". Especificamente na 
Prefeitura encontramos uma situação bem difícil
 prédio deteriorado, muita sujeira, ausência de
 materiais básicos (papel ofício, canetas, tinta
 para impressora, material de limpeza, água,
 etc), arquivos deletados, pastas desaparecidas,
 as principais contas zeradas ou com saldos em
 centavos... Imagino que o ex-prefeito Esdras
 nem tenha sabido dessas coisas, mas a Prefeitura
 nos foi entregue em situação calamitosa (maldade 
de gente que não sabe o que é o bem público*. Por
 que tanto rancor? Era um direito meu trocar a
 equipe e colocar outras pessoas). Enfim, arregaçamos
 mangas e cada um de nós levou de casa o que podia
 (baldes, detergente, sabão, papel, grampeador, caneta,
 etc) e o que era mais urgente para que os 
trabalhos tivessem início. Passado esse susto,
 muito trabalho fora da sede da Prefeitura.
Especialmente as secretarias de Saúde e Transportes/

vias em pleno vapor. A limpeza pública foi priorizada 
nesta semana. Numa força tarefa, foram 
retiradas 29 caçambas de entulho/lixo das ruas, o que
 representa apenas 02% de toda a limpeza que
 precisamos fazer. Transportes que estavam encalhados
 voltaram a funcionar, funcionários voltaram para os seus
 postos de trabalho e a cidade começou a ser limpa. 
Na Saúde uma total concentração de esforços:

 PSFs funcionando normalmente e Hospital com médicos
 plantonistas 24h (a exceção da sexta-feira que ainda
 não conseguimos fechar), além de pequenas reformas e 
ajustes em todas as unidades de saúde. Muito atendimento
 e internação na UMS.
Entretanto, mas do que a situação calamitosa, um dos 

grandes problemas enfrentados nesses dias foi a ausência
 de postos de trabalho para todos os que me procuram.
 Só esta semana, cerca de 300 pessoas procuraram o gabinete
 a procura de emprego. Infelizmente não há emprego pára
 todo mundo. A Prefeitura é um órgão público e não uma
 empresa que demanda produção industrial. Não há como
 empregar as pessoas para ser "bonzinho" e depois não poder
 pagar. Criar a expectativa e depois ter que demitir por falta
 de recursos para honrar com os compromissos assumidos é
 pior do que ser verdadeiro e dizer que no momento não é possível.
 Por isso que durante a campanha eleitoral não prometi nada a 
ninguém, pois saberia que se prometesse depois teria que cumprir.
 E como iria fazer isso? Sei que a carência é grande e que 
dezenas de famílias depositam na Prefeitura a esperança de 
adquirir um emprego, mas é preciso ser prudente e "não meter 
os pés pelas mãos". A prioridade agora é que os efetivos e 
concursados voltem para as suas funções de origem e que os
 "funcionários fantasmas" voltem a trabalhar. Os 
funcionários que a Prefeitura tem hoje são 
suficientes para atender a demanda, o problema
 é que muitos estavam desviados de função ou 
estavam em casa ganhando sem trabalhar. 
Certamente fiz algumas contrações emergenciais em

 secretarias e cargos de comissão, mas que
 foram absolutamente necessárias. Para isso,
 observei critérios técnicos. Agora, infelizmente não 
há mais vagas e há que se esperar pelo concurso
 público que certamente faremos em breve.
Enfim, os trabalhos da nova gestão apenas começaram

 e vamos à luta na busca da construção de uma Jaçanã 
mais, humana, mais digna e mais igualitária para todos
 nós. Um abraço a todos!

* A exceção de Vanderlei que foi sempre muito bacana
 conosco